PUBLICIDADE | LOJA ONLINE | ATENDIMENTO | ASSINATURAS Online Editora
Publicidade

Revista do Mês REVISTA DO MÊS

Casa & Decoração

O Prazer de Morar

ASSINE A SUA
Antes e Depois > Projetos completos
10/09/2010
Mudanças que personalizam o espaço
Texto Adriana Fricelli | Fotos Ricardo Novelli | Adaptação Thales Bormann (estagiário)

Dez dias. R$ 5 mil reais com acordo de desconto nos futuros aluguéis. Um desafio: decorar uma casa de 350 m². “A reforma vai surpreender”, adiantou o decorador Fuad Murad, que assina a repaginação.

Do outro lado de São Paulo, um imóvel alugado passou por uma mudança total em apenas 15 dias. Com R$ 30 mil gastos sem reembolso, o arquiteto Fernando Brandão não se arrependeu.

Escolhemos esses dois exemplos para mostrar que nem sempre é preciso muito tempo e paredes abaixo para dar novos ares a uma casa alugada. A seguir, soluções criativas, simples e originais para transformar o seu lar e deixá-lo a sua cara, mesmo que não seja completamente seu.

Intuição para inovar

“Sou autodidata, libriano e crítico”, apresenta-se o decorador Fuad Murad, um profissional que não trabalha pautado em estilo, mas, sim, na intuição. “Tudo fica bacana desde que bem colocado. Mas, para isso, é preciso sentir e observar a casa”, diz.

E foi justamente guiado pelo sexto sentido que ele escolheu a cor vermelha para pintar as paredes. Uma forma de imprimir sua personalidade, sem gastar muito. Para economizar, ele reaproveitou todos os móveis do antigo apartamento, mas propôs novas funções em outros ambientes, como a mesa de centro, que, antes, apoiava a televisão, e o móvel de canto, que servia como mesa de jantar.

 


Foto Adriana Barbosa

Por se tratar de uma casa alugada, o arquiteto não alterou a estrutura, trocando apenas as cores da parede e mantendo o estilo clássico  A cor vermelha trouxe aconchego e energia à sala. Já as luminárias pendentes no teto, cujo tecido pode ser substituído, é um objeto-chave para Fuad, que adora mudar a estampa das cúpulas quando sente necessidade. Com paredes extensas e expressivas, o arquiteto optou por quadros, sem poluir o ambiente.
 

Truques da decoração

Se não fosse alugada, com certeza Fuad já teria derrubado as paredes que impedem a vista para o lindo jardim nos fundos da casa. A ardósia do piso também seria facilmente trocada por granito rústico. “Não sou fã da ardósia, é uma pedra muito fria”, explica o decorador.

Para as paredes, o profissional não encontrou outra solução senão pintá-las da mesma cor do living, arrematando com produtos artesanais espalhados pelo ambiente. Do projeto original, os arcos das janelas, típicos da década de 1970, permaneceram por necessidade e opção. “Eu adoro, porque sinaliza que a casa é antiga”, explica Fuad.

 


Foto Adriana Barbosa 

 

Sem móveis, o ambiente fica discreto e sem graça. Por se tratar de uma peça trabalhada, o lustre foi mantido Peças trabalhadas à mão estão por toda parte e garantem graça e personalidade. O tapete colorido de kilim afegão, assim como a grande tela vermelha e os quadros, quebrou a seriedade da composição, principalmente em relação ao piso de ardósia

Casa nômade


 

Na hora da reforma, Fuad contou com uma facilidade considerável: o fato de ser amigo da proprietária. “Ela me deu carta branca para fazer o que quisesse e com a garantia de os gastos serem contabilizados no aluguel”, conta. Durante os três anos firmados no contrato, ele pretende não apenas reformar a parte interna da casa, como também levar a cozinha para o jardim, nos fundos, e mais: inverter a entrada principal.

“Quero que as pessoas entrem pelo jardim e que o quintal seja levado para a entrada”, diz o decorador. Ele garante que todas essas melhorias serão feitas independentemente do tempo em que ficar na residência. “Afinal, é onde você vai morar”, salienta Fuad. “É mais ou menos como arrumar a cama todos os dias. Vale a pena?”. Para ele, vale tanto que nem será preciso esperar muito para tudo estar diferente.

 
Foto Adriana barbosa

 

Antes da reforma a casa era sem graça e sem cor As pinceladas de vermelho e peças artesanais compuseram o corredor

Sofá, Breton Actual; escultura da negra, L'oeil; cadeiras de fundo, Til; mesa de canto preta, Noguchi; cadeira diretor, Arquivo Vivo; luminária da Usare, cadeira de reunião, almofadas e tapetes Kilins Afegãos; do acervo do morador, mesa de centro, Artefacto; poltrona de Sérgio Rodrigues; aparador e cadeiras, Casa Blue; mesa, Futon Company; tela vermelha, do artista plástico Jozé; escultura de elefantes de madeira, Til; arca, Pote D'Agua de Minas Gerais.


Cor para toda obra

Uma paleta de infinitas tonalidades colore o universo. Mas, no mundo particular da arquitetura e da decoração, as cores vão além de sua função primordial. “Elas conferem textura, dão e retiram volume”, afirma o arquiteto Fernando Brandão. Para ele, “90% de uma decoração pode ser resolvida com pintura”. Para exemplificar, ele mostra as fotos de seu antigo lar: um apartamento alugado, de 300 m², onde as cores substituíram o branco impessoal das paredes e a quebradeira típica de uma mudança, além, claro, de diminuir os custos.

“Para uma reforma sem despesas altas, use cor”, aconselha o profissional. Portanto, o vermelho (suvinil l137) não foi uma opção do morador, mas uma escolha condicionada pela estrutura do imóvel. “Havia muita incidência de luz por causa das janelas e do pé-direito alto. O apartamento pedia uma tonalidade mais escura. Por isso, usei o verde (suvinil M036) no teto e o avermelhado na maioria das paredes”, diz.

Nos quartos, os donos de cada cômodo pincelaram com suas tonalidades preferidas. Na suíte, o casal optou pela vermelha no teto, enquanto o filho escolheu a amarela, e a garota, a rosa. “Todos os tetos tinham um diferencial, o que deu uma unidade ao apartamento”, conta Fernando.


Foto Divulgação


Foto Divulgação

Sem as cores fortes nas paredes fica a sensação de que não há vida no local Com uma iluminação propícia, móveis e cortinas, o ambiente ficou muito aconchegante e ainda trouxe alegria para o local

Entra e sai

Bastaram apenas 15 dias para o imóvel com quatro suítes ganhar a identidade proporcionada por uma convivência de 15 anos. Além da pintura, a instalação do assoalho de madeira sobre os pisos frios de cimento queimado e cerâmica aumentou a temperatura da casa.

Por que não retirou o revestimento? “Porque o imóvel não era meu, ia precisar devolver”, enfatiza. Alguns pontos de iluminação também foram readequados para destacar os diversos quadros, enquanto os móveis foram feitos exclusivamente para o living pelas mãos do próprio arquiteto. O restante do mobiliário disposto na sala foi reaproveitado do acervo dos moradores.

 


Foto Divulgação


Foto Divulgação

Cerâmicas, paredes e teto brancos ditavam o tom antes da reforma

O antigo piso de cerâmica foi camuflado pelo assoalho de madeira. Para decorar o living, o arquiteto utilizou peças assinadas, além de móveis feitos com exclusividade. A mistura de estilos conferiu um ar moderno e despojado ao ambiente

 
Foto Divulgação

Para cada personalidade, uma cor. Aqui, o amarelo (Suvinil L082) no teto é sinal de que o espaço pertence ao filho do casal. A grande vedete do dormitório é a cama suspensa, desenhada pelo arquiteto especialmente para este projeto
Chama o síndico!

Depois de gastar latas de tintas, madeira, mão-de-obra e energia, o arquiteto Fernando Brandão enfrentou problemas por não ter pedido autorização ao proprietário, coisa que uma conversa prévia talvez pudesse evitar.

O primeiro deles foi arcar com todos os custos da reforma: cerca de R$ 30 mil. O segundo foi tentar convencer o dono das melhorias feitas no imóvel, para evitar a cobrança da multa caso fosse preciso sair antes do tempo previsto no contrato.
“Não adiantou. Ele não aceitou as alterações”, lembra Fernando. Sem amargar arrependimentos, o jeito foi levar o que pôde para o novo apartamento – agora, todo seu. “Sou um arquiteto. Não consigo viver em um lugar que não tenha a minha cara”, conclui.

 

 Projeto Luminotécnico, E27 Design; marcenaria, Doitchnoff Marcenaria; piso madeirado, Tafisa; pintura e gesso, Almeida Pinturas; móveis e objetos, acervo do morador
 


 

Onde encontrar


Almeida Pinturas Tel.: (11) 8427-1518

Arquivo Vivo www.arquivovivomoveis.com.br

Artefacto Basic Tel.: (11) 5105-7777, 3062-0799; www.artefactobasic.com.br

Brecton Actual Tel.: (11) 5506-5248, www.breton.com.br

Casa Blue Tel.: (11) 3814-9392

Doitchnoff Marcenaria Tel.: (11) 2901-7705

E27 Design Tel.: (11) 9492-3633

Espaço Til Tel.: (11) 3063-5603; www.tiloriente.com.br

Futon Company Tel.: (11) 3083-6212, 3813-9700; www.futoncompany.com.br

L'oeil Tels.: (11) 3897-8787, 3085-3211; www.loeil.com.br

Tafisa www.tafisa.com.br




Fechar
Mostre o seu espaço, receba a nossa Newsletter semanalmente e participe de concursos! Faça parte de nosso portal, cadastre-se!

As melhores revistas de decoração do Brasil!

Quero parabenizar pela edição de maio da Casa & Decoração, que foi muito bem elaborada e tem matérias bastante úteis. Continuem neste caminho, melhorando e buscando atingir o máximo de leitores possíveis

Alessandra Silva, Salvador - Bahia, via e-mail
Editora Online