Publicidade

Ponto de vista > Artigos
07/11/2010
Afinal, por que decorar?
Por Vivianne Pontes | Foto Divulgação

Vivianne Pontes é quem mantém o blog "De(coeur)ação" (www.decoeuracao.blogspot.com)
Dois amigos compraram um apartamento na mesma época que eu, gastaram uma pequena fortuna com reforma, e pararam no começo: o fôlego acabou. Perderam o prazer. E a casa ficou assim: um acampamento. Com isso, resolvi procurar dez motivos para decorar, mesmo em época de crise e grana curta, e sem perder o estímulo. E de quebra, algumas dicas de como fazer isso. Mas, por que decorar?


Para se sentir bem e praticar o hedonismo solidário

A casa é onde se passa grande parte da vida. E se você não se sente bem nela, é infeliz boa parte da vida. Por isso, quem cede à beleza, ao prazer e ao gosto por viver diariamente, não só se sente melhor, como tem menos chance de entrar em depressão. Hedonismo não é um palavrão nem uma filosofia irresponsável. Então, para deixarmos de ser individualistas e possibilitar o prazer para os outros, decoremos nossa casa! E comecemos pelas áreas onde podemos receber. Beleza solidária, baby. Got it?


Para exercitar o cérebro

Criatividade faz bem aos neurônios e te deixa de humor mais leve. Inventar algo, pintar uma moldura, fazer uma dobradura para um móbile... Tudo isso deixa a casa mais bela e a mente mais jovem.


Para aprender a planejar

Decorar inclui fazer contas, se organizar e definir prioridades. Portanto, desenvolver isso ajuda em outros campos da vida.


Para entender o tempo das coisas

Fazer tudo, rapidamente, e com o custo mais baixo possível é uma aposta perdida. Comece pequeno, permita-se mudar de ideia, construa suas confianças e quando se sentir bem com relação a uma escolha, é hora de colocá-la em prática. Se não conseguir decidir, desista momentaneamente, parta para outra etapa, e volte a essa depois. Deixe suas ideias amadurecerem.


Para economizar o dia e o dinheiro

Decorar torna a vida melhor, porque cada coisa em seu lugar reduz o tempo para encontrar, arrumar ou limpar.


Para aprender a ser ecorresponsável

Procure fazer escolhas ecologicamente conscientes, como priorizar a iluminação natural e o consumo moderado de água. Reaproveite o que puder, compre peças usadas e renove-as. Doe móveis e peças que ainda podem ser utilizadas por outras pessoas. Isso é moderno e inteligente.

Para induzir as sensações com as cores

A escolha dos tons certos é importante porque influencia o humor (calma), a sensação térmica (frio/quente) e até a sua energia(relaxante/revigorante).


Para cultivar sua memória

Fotografias, a escrivaninha do avô, a colcha que a avó bordou, o primeiro canivete. Coisas que fazem parte da memória ausente e da presente e que lembrem quem você é. Quando mudamos uma planta de vaso não é importante que ela vá com um pouco da terra do vaso anterior? Pois então, certos objetos são parte da sua identidade. Adicione emoção à sua casa.


Para aprender a não supervalorizar

Não adianta aquela cadeira de design em posição de destaque se ela atrapalha a circulação. Oscar Niemeyer disse uma vez que o importante não é a arquitetura, é a vida. Decorar sua própria casa – com carinho e aos poucos – passa pelo aprendizado de não achar imprescindível a compra daquela mesa caríssima, ou a contratação daquele decorador das estrelas. Às vezes, uma mesa é só uma mesa, e é assim que deve ser.

Para valorizar as pequenas alegrias

Não é de uma felicidade encantadora olhar para aquela parede linda que você pintou? É importante dar valor às alegriazinhas, às coisas simples da vida, porque as grandes alegrias não acontecem em número suficiente para manter você feliz.

Fechar
Mostre o seu espaço, receba a nossa Newsletter semanalmente e participe de concursos! Faça parte de nosso portal, cadastre-se!

As melhores revistas de decoração do Brasil!

Conforme já comentei no twitter, voces estão de parabéns, eu estou adorando o portal. Estou com a casa em reforma e tem sido muito útil. Obrigada

Tania Mancini Choer, Pelotas - Rio Grande do Sul, via Orkut
Editora Online